É impossível saber quantas vezes fui traída. Até à primeira vez em que o soube, diria que não tinha sido vez nenhuma. A gente confia por princípio. Até ao dia em que já não podemos confiar.
Da primeira vez que soube que fui traída doeu mais, muito mais do que um soco no estômago. Literalmente. A dor que se sente é física. A vertigem e a vontade de vomitar, a perda de força nos membros, a saliva acre e aguada na boca, tudo é físico.
Só soube dessa vez. E bastou. Bastou para saber como dói e bastou para pôr em causa todo o passado e todo o futuro. Bastou para deixar a confiança na casa de penhores de onde trouxe uma imensa amargura.